Fontes de investimento para empreender em qualquer área

Aos que estão dando os primeiros passos no mundo empresarial, é muito importante contar com uma perspectiva de crescimento e um bom plano de negócios.

Postado em 23/12/2017.

Muitas vezes, o primeiro questionamento para quem estiver pensando em abrir um próprio negócio é de onde irá vir o dinheiro. Saiba que qualquer empresa, na sua origem, precisa declarar uma quantidade determinada que deve fazer parte do seu capital social. Estes valores deverão ser utilizados para adquirir materiais, além de pagar primeiros aluguéis de ponto comercial, contratar profissionais, além de investir em desenvolvimento de sites, divulgação, entre diversas outras necessidades de primeira ordem.

O dinheiro não deverá resolver todos os problemas da empresa. A partir disto, correr atrás dos empréstimos sem um critério e sem um bom planejamento de negócios é algo muito arriscado. O Sebrae, como instituição, recomenda a todos que seja realizada uma análise dos custos, antes de se passar a cestinha na boca do caixa para fazer empréstimos e ficar preso a juros exorbitantes nos próximos anos.

Falando um pouco sobre controles financeiros básicos podemos apontar o controle diário de caixa, o controle diário de bancos, de despesas de vendas, de contas a pagar, de contas a receber e de contas de estoque. Quem estiver dando os primeiros passos no mundo dos negócios, é fundamental contar com uma boa perspectiva de crescimento e um bom plano de negócios.

Confira algumas dicas de fontes de investimentos para empreender em qualquer área com sucesso.

Fontes de investimento para empreender em qualquer área

Ter um capital próprio

Em diversas situações essa é a primeira alternativa. Assim como acontece com o próprio empresário, ele financia seu próprio negócio, e não precisa se preocupar com as devidas garantias, com juros, com contratos, burocracia, entre diversos outros problemas voltados ao crédito.

É fato que o capital próprio é maravilhoso, mas ele nem sempre existe, e não é uma alternativa ao alcance de todos, seja por não se ter o capital necessário, seja por conta de altos investimentos exigido pelo ramo de atuação da empresa. Não são todas as pessoas que poderão bancar o próprio começo no mercado, e nem todo o negócio, pois alguns precisam de um maior capital do que outros.

Mesmo que você tenha um pouco de dinheiro, poderá não ser uma alternativa interessante gastar todas as economias e vender a casa e o carro para bancar a ideia. Mesmo nas suas vantagens, empreender com capital próprio poderá levar o empresário a ser um pouco mais indulgente com seus fracassos, pois não está amarrado aos contratos e a obrigações.

A venda de participação em ações

Esta é uma alternativa para incluir o capital de terceiros nos processos, seja para compor seus 100% do capital social, ou seja para integrar o próprio investimento. Nesta situação existem diversas alternativas, entre elas a mais popular é a venda de uma parte da empresa para um ou mais sócios, o que eventualmente deverão se envolver no dia a dia dos negócios.

Outra modalidade interessante e bem conhecida é o investimento anjo. Normalmente os investidores nesta situação atuam em um fundo com um conjunto de empresas de rápida escalabilidade, e acabam assim comprando participações nelas para multiplicarem ganhos na hora de vender.

O investimento coletivo

Esta é uma ferramenta atualmente muito difundida e utilizada, principalmente por empresas que possuem um produto específico. De forma geral, os produtos precisam contar com uma boa dose de inovação e novidade para que possa se convencer os pequenos investidores a colorarem dinheiro em um projeto esperando assim sua recompensa.

Dificilmente os empreendedores deverão conseguir levantar o dinheiro suficiente através de crowdfunding para abrir uma padaria comum no seu bairro por exemplo. as campanhas coletivas possuem mais chances quando o alcance é de algo nacional, e qualquer pessoa poderá contar com acesso a recompensas que forem prometidas.